Corpo estranho em cólon

Corpo estranho em cólon

Paciente feminina, 50 anos, com esquizofrenia, trazida pela família com história de ingestão de várias agulhas de costura, há cerca de 48 horas, sendo encaminhada de UBS de sua região, com radiografia demonstrando múltiplas imagens de corpos estranhos em abdômen, e uma em região cervical

Paciente deu entrada em PA, sem nenhuma queixa (porém, segundo familiares, má informante), sem alterações ao exame físico. Inicialmente , foi submetida a realização de  radiografia de abdomen, e TC de cervical, dado o tempo de ingestão.

Corpo Estranho - Agulha no cricofaríngeo

Corpo Estranho – Agulha no cricofaríngeo

Múltiplas agulhas em delgado e cólon

Múltiplas agulhas em delgado e cólon

 

 

Paciente foi submetido a Endoscopia Digestiva Alta, com retirada da agulha, sem maiores lesões (não há fotos deste procedimento).

Optou-se pelo acompanhamento clínico com a paciente internada. No quarto dia após a ingestão das agulhas foi realizada nova tomografia, para avaliar a presença das agulhas em delgado, notando-se a presença em cólon:

Tomografia de Abdomen - Agulhas em cólon

Tomografia de Abdomen – Agulhas em cólon

Tomografia de Abdomen - Agulhas em cólon

Tomografia de Abdomen – Agulhas em cólon

 

 

Ainda assintomática, e referindo eliminação diária de agulhas, a radiografia controle no  9º dia de ingestão ainda mostrava agulhas no cólon :

Agulhas em cólon

Agulhas em cólon

 

 

Não apresentando progressão na avaliação no 11º dia após a ingestão.

Agulhas em cólon

Agulhas em cólon

 

 

Neste momento, foi indicada a colonoscopia.

Paciente foi submetido ao preparo de cólon, sem nenhuma intercorrência, sendo então realizada a colonoscopia no 12º pós ingestão:

Agulhas

Agulhas

Agulhas

Agulhas

Agulhas - retirada com alça

Agulhas – retirada com alça

Agulhas - retirada com alça

Agulhas – retirada com alça

Local de impactação de agulha em cólon direito

Local de impactação de agulha em cólon direito

 

 

Pode-se identificar claramente 4 agulhas, aderidas frouxamente ao cólon, retirada sem intercorrência, sob visão direta. Após o procedimento, para confirmar a retirada de todas as agulhas, paciente realizou radiografia controle, sem sinais de CE.

Radiografia Controle

Radiografia Controle

 

 

Você pode encontrar uma pequena revisão sobre o assunto Corpos Estranhos no Trato Gastrointestinal aqui.

Também pode encontrar imagens de corpos estranhos diversos em nossas galerias de imagens : Galeria 1 , Galeria 2 , Galeria 3 , Galeria 4.

 

 

Neste caso, optou-se pela conduta expectante, aguardando a saída natural dos C.E., após a retirada mandatório do corpo estranho impactado em esôfago, e não sendo evidenciados corpos estranhos gástricos. Qual seria a sua conduta ? Já conduziu um caso semelhante ? Use o campo de comentários abaixo, e deixe a sua experiência para discussão.

 

Nota: Agradecemos ao Dr. Fausto Rolim Junior pelas imagens.

 

Baixar em PDF
Compartilhe:
Foto de perfil de Guilherme Sauniti

Doutor em gastroenterologia pela FM-USP.
Especialista em Cirurgia do Aparelho Digestivo (HCFMUSP) e em Endoscopia Digestiva (SOBED).
Diretor do Serviço de Cirurgia Geral da Faculdade de Medicina de Marília -FAMEMA.
Médico da clínica Gastrosaúde de Marília.

Baixar em PDF

4 Comentários

  1. Parabéns pelo post ! Ótimas imagens. Guilherme, já me deparei com uma situação semelhante, porém o paciente não evoluiu bem como o caso acima. Era uma paciente com cerca de 60 anos que havia ingerido um palito de dente. Compareceu ao PS mais de 12 hrs depois, assintomática. Realizei a endoscopia, porém não havia evidências de corpo estranho. Optei por conduta expectante. Após 48 hrs a paciente evoluiu com peritonite secundária à abdome agudo perfurativo. Foi submetida a laparotomia exploradora com retirada do corpo estranho, seguida de enterectomia segmentar. Evoluiu bem. Acho que a maior lição é que mesmo adotando um conduta conservadora sempre devemos observar de perto esses casos, já que algumas vezes as complicações podem ocorrer tardiamente.

  2. Foto de perfil de Ivan R B Orso

    Renzo, concordo com você. Quando optamos por conduta conservadora em um paciente com ingestão de corpo estranho pontiagudo que já passou do duodeno o acompanhamento deve ser bem de perto! Já tive casos com perfuração tardia de delgado e também casos de abscesso perianal com o palito ou agulha encravados na região do reto distal e canal anal. Porém, na maioria das vezes estes corpos estranhos saem espontaneamente. No caso de objetos pontiagudos metálicos o acompanhamento radiológico é sempre uma boa opção.

  3. Son casos para un seguimiento muy de cerca y por un equipo endoscópico – quirúrgico. Siempre tener en mente las complicaciones para su diagnóstico temprano y tratamiento adecuado. Me toco retirar un piercing de la válvula iliececal con éxito. Pte igual quedo en control. Saludos.

  4. Foto de perfil de Eduardo Trávolo

    Excelente post. Já me deparei também com diversos tipos de corpos estranhos no trato digestivo. Um deles foi um palito de dente no delgado, o paciente já chegou na unidade de urgência/emergência com sinais de abdome agudo pefurativo, porém sem história da ingesta. Na laparotomia exploradora foi onde identifiquei o corpo estranho com reparo da lesão e o paciente ficou bem.

Deixe um comentário