Achados Ecográficos na Pancreatite Crônica

Achados Ecográficos na Pancreatite Crônica
Compartilhe:

As pancreatites crônicas (PC) se caracterizam, do ponto de vista anátomo-patológico, pela fibrose progressiva do parênquima glandular, inicialmente focal e, a seguir, difusa por todo o pâncreas. Do ponto de vista evolutivo, geralmente, há persistência das lesões, mesmo com a retirada do fator causal, determinando alterações pancreáticas residuais anatômicas e funcionais.

A ecoendoscopia tem um papel importante no diagnóstico dessa patologia, sobretudo das formas mais leves e iniciais da doença, que não são identificadas pelos métodos de imagem convencionais e para as quais os testes funcionais pancreáticos apresentam uma sensibilidade relativamente baixa.

O último consenso relativo aos critérios necessários para estabelecer o diagnóstico ultrassonográfico de pancreatite crônica foi designado de Critérios de Rosemont. Essa classificação baseou-se na experiência de autoridades na matéria. Foram estabelecidos critérios maiores (A e B) e menores.

 

Critérios maiores A:

  • Focos hiperecoicos com cone de sombra;
  • Cálculos do ducto pancreático principal.

 

Critério maior B:

  • Lobularidade contígua do parênquima.

 

Critérios menores:

  • Cistos;
  • Ducto pancreático principal com contorno irregular;
  • Ducto pancreático principal dilatado;
  • Ramos secundários dilatados;
  • Parede ductal hiperecoica;
  • Faixas hiperecoicas;
  • Focos hiperecoicos sem cone de sombra;
  • Lobularidade não contígua do parênquima.

 

Apesar dessa classificação ser muito complexa, ainda é a mais utilizada na prática. E para que o diagnóstico de pancreatite crônica seja estabelecido, os critérios ultrassonográficos são analisados da seguinte forma:

 

Diagnóstico de certeza:

  • presença de dois critérios maiores A;
  • presença de um critério maior A + um critério maior B;
  • presença de um critério maior A + pelo menos três critérios menores.

 

Os achados são sugestivos de PC quando há:

  • presença de, pelo menos, 5 critérios menores;
  • presença de um critério maior B + pelo menos 3 critérios menores;
  • presença de um critério maior A + menos três critérios menores.

 

Os achados são indeterminados para PC quando há pelo menos:

  • presença de 3 a 4 critérios menores e nenhum critério maior;
  • presença apenas de um critério maior B ou com menos três critérios menores.

 

Os achados são NEGATIVOS para PC quando há:

  • presença de apenas 2 critérios menores e nenhum critério maior.

 

O achados ultrassonográficos usualmente encontrados nos casos de PC são:

 

As imagens ultrassonográficas abaixo são de um paciente com pancreatite crônica. Nas imagens, notamos alguns critérios que corroboram com esse diagnóstico.

 

Ecoendoscopia setorial exibindo lobularidade difusa do corpo pancreático associada a estrias longitudinais hiperecoicas.

Ecoendoscopia setorial exibindo lobularidade difusa do corpo pancreático associada a estrias longitudinais hiperecoicas.

Mesmos achados da figura anterior, porém com range maior.

Focos hiperecoicos com sombra acústica posterior.

Lobularidade difusa do parênquima.

 

Clique nos links abaixo e assista aos vídeos de alguns pacientes com pancreatite crônica submetidos à EUS:

EUS Pancreatite crônica 1

EUS Pancreatite crônica 2

EUS Pancreatite crônica 3

Baixar em PDF
Compartilhe:
Foto de perfil de Renzo Feitosa Ruiz

• Doutorado em andamento pelo Depto. de Gastroenterologia da FMUSP
• Médico do Serviço de Endoscopia Digestiva do Hospital Israelita Albert Einstein
• Médico do Serviço de Endoscopia Digestiva do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Baixar em PDF

Deixe um comentário