Home » Nova Ortografia aplicada à Endoscopia

Nova Ortografia aplicada à Endoscopia

por Bruno Martins
Compartilhe:

Pasquale

 

Como você escreveria?

  • Paciente com ressecção do cólon sigmóide. Anastomose colo-retal término-terminal ampla e sem lesões.
  • Paciente com ressecção do cólon sigmoide. Anastomose colorretal terminoterminal ampla e sem lesões.

Muita gente ainda se confunde com o Novo Acordo Ortográfico brasileiro.

Este “novo” acordo é um tratado internacional firmado em 1990 com o objetivo de tentar criar uma ortografia unificada para o português, a ser usada por todos os países de língua oficial portuguesa.

No Brasil, essas mudanças ortográficas se iniciaram em 2009 (vigência ainda não obrigatória). Entre 2010 e 2012 houve adaptação completa dos livros didáticos às novas regras, e a partir de 2013 a vigência deveria ser obrigatória em todo o território nacional, mas sua obrigatoriedade foi postergada para 01/01/2016.

De fato, gramática é um assunto indigesto para a maioria das pessoas. Mas em se tratando de textos oficiais, como, por exemplo, os laudos endoscópicos, é importante utilizarmos a grafia correta, mesmo porque espera-se que a classe médica tenha um certo nível de instrução.

Neste post, tentei resumir de maneira bem simples as principais mudanças da nova ortografia, citando exemplos com palavras do nosso “medicinês”.

 

ACENTUAÇÃO

  1. Não se usa mais o acento em ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas

  • sigmoide
  • hemorroida
  • cerebroide
  • paranoico
  • ideia
  • coreia
  • plateia

Atenção:

Essa regra é válida somente para palavras paroxítonas. Assim, continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas e os monossílabos tônicos terminados em éis e ói(s). Exemplos: papéis, herói, heróis, dói, sóis etc.

  1. Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s)

  • enjoo
  • abençoo
  • leem
  • creem

USO DO HÍFEN NOS PREFIXOS

  1. Não se usa o hífen se o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra

  • antibiótico
  • microcirculação
  • contralateral
  • pseudopólipo
  • justacárdica
  • pseudodeprimido
  • ultrassom
  • semicircunferencial
  • intratorácico
  • peridiverticular
  • hiperacidez
  • interobservador
  • subcárdico
  • submucosa
  • subtotal
  • pancolite
  • subepitelial
  1. Usa-se o hífen se o prefixo terminar com a mesma letra com que se inicia a outra palavra

  • intra-abdominal
  • anti-inflamatório
  • justa-anastomótica
  • inter-racial
  • super-resistente
  1. SEMPRE usar hífen diante de palavra iniciada por H

  • anti-higiênico
  • anti-histamínico
  • sobre-humano
  • super-homem

* Casos particulares

SEMPRE usar hífen com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró: Pré-pilórico, pró-biótico, pré-história, pós-operatório, pós-polipectomia, recém-operado, recém-nascido, ex-aluno.
Com o prefixo sub e sob, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r: sub-região, sub-residente, sob-roda.

 

USO DO HÍFEN COM COMPOSTOS

Particularmente, eu acho que este é o cenário com as regras mais difíceis de entender. Palavras compostas que não apresentam elementos de ligação são grafadas com hífen. Exemplos: guarda-chuva, arco-íris, boa-fé, segunda-feira, mesa-redonda, vaga-lume, joão-ninguém, porta-malas, porta-bandeira, pão-duro, bate-boca. No entanto, não usamos hífen nas palavras que perderam a noção de composição, tais como: girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista, paraquedismo.

Na nossa prática, a maioria das palavras compostas perdeu o hífen:

  • colorretal
  • anteroposterior
  • anatomopatológico
  • terminoterminal
  • transição esofagogástrica
  • anastomose gastrojejunal

Existem várias outras regras, e o assunto é ainda mais complicado. As regras que colocamos aqui foram apenas as principais. Talvez, outra que valha a pena destacar é que não se usa hífen na composição de palavras com NÃO (diferentemente do inglês).

Exemplo: prótese não recoberta.

No site da Academia Brasileira de Letras, existe uma ferramenta de buscas: o VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa). Na dúvida de como escrever uma palavra, ou se ela existe ou não, basta digitá-la no campo de busca do site.

 

Respondendo à pergunta inicial, o correto seria:

  • Paciente com ressecção do cólon sigmoide. Anastomose colorretal terminoterminal ampla e sem lesões.

Como citar este artigo:

Martins B. Nova Ortografia aplicada à Endoscopia. Endoscopia Terapêutica; 2020. Disponível em: https://endoscopiaterapeutica.com.br/assuntosgerais/nova-ortografia-aplicada-a-endoscopia/

Acesse o Endoscopia Terapêutica para tomar contato com mais artigos comentados, assuntos gerais, casos clínicos, quizzes, classificações e mais!

+ posts

Médico Endoscopista do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP)
Médico Endoscopista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Doutor em Gastroenterologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Contato: bruno.endoscopia@gmail.com


Compartilhe:
0 Comentário

Deixe seu comentário