Conversão de mucosectomia convencional para Underwater em ressecção difícil

Conversão de mucosectomia convencional para Underwater em ressecção difícil
Compartilhe:

A mucosectomia é um método muito bem estabelecido para a ressecção de lesões colônicas. A  injeção submucosa é considerada como parte fundamental durante a aplicação desta técnica, fazendo a elevação da lesão e afastando a submucosa da muscular própria, teoricamente reduzindo o risco de perfuração e lesão térmica das camadas mais profundas. Apesar disso,  a injeção submucosa pode, em alguns casos, dificultar ou até inviabilizar a captura de lesões planas, fazendo com que a alça deslize sobre elas.  Nestes casos, a utilização da técnica de ressecção Underwater pode ser utilizada para ajudar.

Este procedimento foi desenvolvido a partir da observação de que durante a imersão em água para fazer ecoendoscopia de lesões precoces no cólon a mucosa e a submucosa ficavam “boiando” enquanto a muscular própria se mantinha distendida. Devido à este afastamento das camadas superficiais para longe da muscular própria, estas lesões poderiam ser ressecadas sem a necessidade de injeção.   Além disso, como a lesão fica “boiando” acaba facilitando a captura pela alça de polipectomia.

Neste vídeo podemos ver como esta técnica pode facilitar a ressecção de algumas lesões difíceis.  O vídeo mostra a ressecção de uma lesão grande de cólon ascendente, bem próxima da válvula ileocecal.  O procedimento começa com a utilização da técnica de mucosectomia convencional com injeção e ressecção em piecemeal. Porém, após a ressecção da maior parte da lesão, a base ficou plana, localizada atrás de uma prega e difícil de ser capturada devido ao deslizamento da alça sobre ela.  Neste momento o procedimento foi convertido para a técnica underwater, com aspiração de todo o ar e infusão de água no ceco. Com esta técnica,  a lesão foi  totalmente ressecada.

 

Baixar em PDF
Compartilhe:
Foto de perfil de Gustavo Kurachi

TITULAR SOCIEDADE BRASILEIRA DE COLOPROCTOLOGIA.
RESIDÊNCIA DE COLOPROCTOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS.
PROFESSOR DE CIRURGIA DA FACULDADE ASSIS GURGACZ (FAG)

Baixar em PDF

6 Comentários

  1. Foto de perfil de Felipe Paludo Salles

    Gustavo, parabéns pelo procedimento não apenas pela técnica mas também pelo tamanho e localização da lesão. Minha dúvida nesta conversao de tecnicas é se a injeção submucosa e a diatermia da mucosectomia não atrapalham a apreensão do restante do lesão pela técnica underwater. Abraço , Felipe

    • Foto de perfil de Gustavo Kurachi

      Oi Felipe , tudo bem.
      Sim foi uma lesão difícil de ressecção pela localização e pelo tamanho, optamos por começar por um procedimento de mucosectomia, mas no meio do procedimento a lesão “se escondeu” atrás de uma prega, e como alternativa tentamos a técnica Underwater para tentar ressecar a lesão ainda de forma endoscópica, e para nossa felicidade a lesão ficou “boiando” facilitando a ressecção, portanto a injeção não atrapalhou . Abraço Gustavo

  2. Foto de perfil de Matheus Franco

    Parabéns Gustavo pelo caso. Você tem utilizado a técnica underwater com frequência? Quais seus resultados? Abraço

    • Foto de perfil de Gustavo Kurachi

      Oi Matheus , tudo bem.
      Ainda temos pouca experiência com essa técnica.Mas acredito que ela seja muito útil em alguns casos, e essa técnica como salvamento foi realmente uma surpresa para nós. Abraço Gustavo

  3. Parabens, muito boa indicação para a apresentação de lesões de localizações difíceis, neste caso distal a valvula ileocecal. É bom lembrar desta opção!

Deixe um comentário