STAPFER – PERFURAÇÃO PÓS-CPRE

STAPFER – PERFURAÇÃO PÓS-CPRE
Compartilhe:

 

A classificação de Stapfer é a mais utilizada para perfuração após CPRE e baseia-se no mecanismo, localização anatômica e gravidade da lesão.

 

Tipo Lesão
I Perfuração da parede intestinal livre
II Perfuração periampular (retroperitôneo)
III Perfuração do ducto pancreático ou biliar
IV Ar no retroperitônio em exame de imagem (sem perfuração evidente)

 

Imagem retirada do artigo: Stapfer M, Selby RR, Stain SC, et al. Management of duodenal perforation after endoscopic retrograde cholangiopancreatography and sphincterotomy. Ann Surg 2000; 232:191.

 

A perfuração pós-CPRE ocorre em 0,5% dos casos.

 

Os tipos de perfuração apresentam mecanismos diferentes:

I – relacionada ao endoscópio;

II – relacionada à esfincterotomia e manipulação periampular;

III – relacionada à instrumentação da via biliar;

IV – relacionada à insuflação excessiva junto a papila.

 

 

O tratamento inicial depende do tipo de perfuração:

I – eminentemente cirúrgico (pode tentar tratamento endoscópico);

II – tratamento endoscópico (prótese metálica autoexpansível totalmente recoberta);

III – tratamento endoscópico (prótese biliar ou pancreática) e observação;

IV – observação nos assintomáticos.

 

Lesão tipo IV. Ar no retroperitônio, sem perfuração evidente pelo exame de endoscopia.

 

 

Referências:

  • Stapfer M, Selby RR, Stain SC, et al. Management of duodenal perforation after endoscopic retrograde cholangiopancreatography and sphincterotomy. Ann Surg 2000; 232:191.
  • ASGE Standards of Practice Committee, Chandrasekhara V, Khashab MA, Muthusamy VR, Acosta RD, Agrawal D, Bruining DH, Eloubeidi MA, Fanelli RD, Faulx AL, Gurudu SR, Kothari S, Lightdale JR, Qumseya BJ, Shaukat A, Wang A, Wani SB, Yang J, DeWitt JM. Adverse events associated with ERCP. Gastrointest Endosc. 2017 Jan;85(1):32-47.

 

Baixar em PDF
Compartilhe:
Foto de perfil de Galileu Farias

– Residência em Cirurgia Geral pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
– Residência em Endoscopia Digestiva pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
– Fellow em Endoscopia terapêutica e biliopancreática (Ecoendoscopia e CPRE) pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Baixar em PDF

Deixe um comentário