Divertículos intestinais: causas, sintomas e tratamentos

Divertículos são pequenas herniações ou bolsas pequenas na mucosa intestinal, geralmente localizadas nas fibras musculares das paredes do intestino grosso. A formação de divertículos no intestino grosso ou a inflamação desses divertículos são conhecidas como diverticulose e diverticulite, respectivamente, condições clínicas que merecem atenção e cuidado.

Confira abaixo as causas, sintomas e tratamentos relacionados aos divertículos intestinais.

Diverticulite e diverticulose: o que são?

A presença de divertículos intestinais caracteriza a diverticulose. Estima-se que um terço das pessoas com mais de 50 anos e dois terços com mais de 80 têm diverticulose, geralmente assintomáticas. Porém, caso o paciente apresente dor ou desconforto abdominal, prisão de ventre ou alterações no hábito intestinal, pode ser que haja complicações da doença diverticular.

Já a diverticulite é caracterizada não só pela presença de divertículos intestinais, mas também pela inflamação deles. Os sintomas podem incluir cãibras ou dor no lado inferior esquerdo, diarreia e constipação (alternados), febre, calafrios, náuseas, vômitos e sangramento retal.

Embora não haja consenso médico do que realmente causa a diverticulite, é possível que comece quando bactérias ou fezes são retidas nos divertículos, causando um processo inflamatório local.

Acredita-se que a principal causa possa ser a baixa ingestão de fibras, pois favorece o quadro de constipação, forçando mais os músculos para evacuar. Esse esforço extra faz com que os pontos fracos no cólon inchem e se tornem divertículos. Outros fatores que podem contribuir para o quadro inflamatório são: tabagismo, obesidade e sedentarismo.

Como é feito o diagnóstico e como são tratadas?

O diagnóstico de diverticulose pode ser obtido com colonoscopia ou tomografia de abdome.  O tratamento da diverticulose geralmente está ligado ao aumento do consumo de fibras, ou seja, cereais integrais, frutas, legumes e verduras.

Já a diverticulite pode ser diagnosticada por meio de tomografia de abdome e exames de sangue. O tratamento depende da gravidade. Em crises agudas faz-se uso de antibióticos e analgésicos, podendo haver necessidade de hospitalização e hidratação intravenosa.

Em crises graves e frequentes, a cirurgia pode ser recomendada. Geralmente realiza-se a remoção da área do cólon infectada, na qual estão os divertículos intestinais, e costura das extremidades remanescentes do cólon.

Como prevenir diverticulite e diverticulose?

Para prevenir uma doença relacionada aos divertículos intestinais, seja diverticulite ou diverticulose, alguns pontos são importantes, como:

  • adotar uma alimentação saudável e rica em fibras;
  • praticar exercícios físicos;
  • ingerir muita água;
  • observar alterações no padrão intestinal;
  • observar se alguns alimentos estão causando dor abdominal.

Diverticulite e diverticulose no GastroBlog

O GastroBlog conta com uma ampla rede de médicos. Por isso, o site apresenta conteúdos informativos e de fácil compreensão, sempre desenvolvidos e revisados por profissionais.

No GastroBlog, você vai encontrar mais informações sobre diverticulite e diverticulose, além de muitas outras, como os cuidados antes e depois de uma endoscopia e de uma colonoscopia.

Acesse o site e confira!

MAIS NOTÍCIAS

Câncer de esôfago: causas, sintomas e tratamento

O câncer de esôfago se desenvolve nas células que revestem as paredes do esôfago. Obtenha informações relevantes sobre a doença aqui no GastroBlog. O esôfago […]

Leia mais

Doenças do aparelho digestivo: entenda o esôfago de Barrett

O esôfago de Barrett é uma condição que pode surgir ao longo da vida. Ainda que não seja grave, é importante conhecer as causas e […]

Leia mais

Saiba mais sobre a colectomia no tratamento de câncer de cólon

A colectomia como tratamento do câncer de cólon é uma cirurgia considerada de grande porte por fazer a retirada de parte do intestino grosso. Acompanhe […]

Leia mais

TENHA
A ENCICLOPÉDIA
DO APARELHO
DIGESTIVO
EM SUAS MÃOS

Loading