Doença celíaca: diagnóstico, alimentação e tratamento

A doença celíaca é uma doença autoimune em que o organismo reage de forma anormal ao glúten, ou seja, criando anticorpos que atacam o próprio corpo.

O glúten é uma proteína encontrada no trigo, na cevada e no centeio. Ao consumir alimentos derivados desses ingredientes, o sistema imunológico ataca parte do intestino, resultando em má absorção dos nutrientes, diarreia e outros problemas.

Saiba quais são os sintomas, como a doença celíaca é diagnosticada, o tratamento e o que é mito sobre essa condição.

Quais os sintomas da doença celíaca?

O desenvolvimento da doença celíaca pode ocorre já na infância, no entanto adultos também podem manifestar a doença ao longo da vida.

Os sintomas estão relacionados a danos na parede intestinal, causados pelo ataque dos autoanticorpos. Esses danos ocasionam a má absorção intestinal, podendo levar a sintomas como:

  • anemia;
  • baixa absorção de nutrientes;
  • diarreia crônica;
  • dor abdominal;
  • falta de apetite;
  • inchaço na barriga;
  • osteoporose;
  • perda de peso e desnutrição.

Como funciona o diagnóstico?

O diagnóstico da doença celíaca é feito por um médico gastroenterologista, que realiza um exame clínico para análise dos sintomas e a biópsia do intestino por meio de endoscopia digestiva.

Exames de sangue para pesquisa dos autoanticorpos também são necessários para comprovação diagnóstica. Em alguns casos exames genéticos também são realizados.

Como é feito o tratamento?

A doença celíaca não tem cura. Por ser uma doença autoimune, o melhor tratamento consiste na restrição total de glúten.

Ao excluir essa proteína da alimentação, o paciente notará que os sintomas desaparecem. Claramente não é uma abordagem fácil, e as pessoas costumam ter bastante dificuldade de conviver com as restrições alimentares.

Entretanto, por não ter cura, a doença celíaca depende diretamente da alimentação para ser mantida sob controle. A dieta deve ser seguida rigorosamente pelo paciente e pelo resto de sua vida.

Importante: se não tratada, a doença celíaca pode acarretar problemas graves de saúde, como desnutrição, infertilidade e até neoplasias como o linfoma.

Alimentação livre de glúten

Os pacientes são orientados pelo médico quanto à dieta adequada para contenção dos sintomas. Além disso, é preciso seguir uma série de cuidados para não correr o risco de contaminação cruzada na hora de preparar alimentos.

Durante os primeiros meses de tratamento, o médico pode analisar a possibilidade de restringir o consumo de leite e derivados visando observar se o paciente também sofre de intolerância à lactose, que muitas vezes é secundária ao dano intestinal.

O médico também pode recomendar ao paciente que busque auxílio de um nutricionista especializado para auxiliar nas adaptações alimentares.

Importante: o paciente com doença celíaca precisa se habituar a ler os rótulos de alimentos industrializados. As próprias marcas escrevem um alerta aos intolerantes ao glúten e à lactose.

Atenção aos rótulos!

A Lei Federal n.º 10.674 de 2003 assegura que todos os alimentos industrializados obrigatoriamente devem informar a presença ou não de glúten em seus rótulos para garantir o direito à saúde de pessoas com doença celíaca.

Mitos sobre a doença celíaca

Ainda hoje há vários mitos envolvendo a doença celíaca, sendo os principais:

A doença celíaca é uma alergia alimentar

Há uma confusão em relação à doença celíaca. Muitas pessoas a consideram uma alergia alimentar, mas trata-se de uma condição bem mais complicada.

Por um lado, a alergia alimentar consiste em uma reação do corpo ao consumo de um determinado alimento, ocorrendo logo após o seu consumo, com sintomas como falta de ar e erupções cutâneas.

A doença celíaca, por sua vez, pode progredir de forma lenta e silenciosa, com sintomas leves que se tornam cada vez mais acentuados, até que o paciente percebe algo errado no organismo.

Somente sintomas digestivos são causados pela doença celíaca

Aqui há outro erro comum quanto ao entendimento da doença. Ainda que os sintomas mais clássicos sejam dores na região do abdômen, náusea, gases, diarreia e perda de peso, a doença celíaca pode gerar outros problemas não relacionados ao sistema digestivo, tais como:

  • alterações de humor;
  • anemia;
  • cansaço;
  • dermatite herpetiforme;
  • dores nas articulações;
  • formigamento nas mãos e pés;
  • lesões na boca;
  • menstruação irregular;
  • problemas de crescimento (em crianças).

A doença celíaca não é grave

A doença celíaca, assim como toda doença autoimune, pode causar complicações graves se não for devidamente tratada. Algumas dessas complicações envolvem:

  • neoplasias com o linfoma;
  • desnutrição;
  • infertilidade e aborto espontâneo;
  • osteoporose;
  • problemas neurológicos.

Saiba mais sobre doença celíaca e aparelho digestivo no GastroBlog

Se você se interessa por assuntos envolvendo o aparelho digestivo, como doença celíaca e endoscopia digestiva, acompanhe o GastroBlog, um portal que vincula diversas informações visando promover conhecimento verídico à população.

Navegue pelo GastroBlog e confira outros conteúdos desenvolvidos pela nossa equipe de médicos e especialistas.

MAIS NOTÍCIAS

Como me preparo para uma endoscopia?

A endoscopia é um exame muito importante. É preciso que o paciente realize um procedimento de preparação para que tudo ocorra de forma adequada. Acompanhe […]

Leia mais

Dificuldade para engolir: entenda sobre a disfagia

A dificuldade para engolir, ou disfagia, é uma condição que pode atingir pessoas de todas as idades. Entenda melhor a questão e veja como é […]

Leia mais

Gastroblog: endoscopia por cápsula

A endoscopia por cápsula é um exame realizado com o intuito de diagnosticar doenças ou anormalidades no trato digestivo. Tire as principais dúvidas sobre o […]

Leia mais

TENHA
A ENCICLOPÉDIA
DO APARELHO
DIGESTIVO
EM SUAS MÃOS

Loading