Bile no dreno! E agora?

Bile no dreno! E agora?
Compartilhe:

Paciente com 57 anos, realizou colecistectomia videolaparoscópica eletiva há 7 dias, com lesão de colédoco durante a cirurgia, descrita como mínima e reparada com ponto simples. No segundo PO apresentando drenagem de bile por dreno abdominal em média quantidade (não quantificado). Paciente bem, sem febre, anictérico. Optado pela realização de CPRE, com o achado abaixo:

 

Bile no dreno Bile no dreno Bile no dreno

 

Compartilhe esse quiz para mostrar seus resultados !


Apenas nos diga quem você é para ver o resultado!

fístula biliar Acertei %%score%% em %%total%%

Acesse o Endoscopia Terapêutica para tomar contato com mais artigos comentados, assuntos gerais, casos clínicos, quizzes, classificações e mais!

Baixar em PDF
Compartilhe:

Doutor em Gastroenterologia pela FM-USP.
Especialista em Cirurgia do Aparelho Digestivo (HCFMUSP), Endoscopia Digestiva (SOBED) e Gastroenterologia (FBG).
Professor do curso de Medicina da Fundação Educacional do Município de Assis – FEMA.
Médico da clínica Gastrosaúde de Marília.

Baixar em PDF

3 Comentários

  1. Muito bom Guilherme. Esse assunto merece um post sobre o assunto.
    Copiei um trecho da discussão do artigo para quem se interessar:
    “The American Society for Gastrointestinal Endoscopy recommended decompression of the bile duct by sphincterotomy alone or endoscopic stent or nasobiliary drain placement, with or without sphincterotomy.
    In comparison, the European Society for Gastrointestinal Endoscopy recommends biliary stent placement only without sphincterotomy to avoid the possible higher short- and long-term AEs associated with sphincterotomy.
    This reflects the lack of consensus about the optimal management of BDLs”

  2. Ola Bruno!
    Sempre há esta preocupação com os efeitos a longo prazo da papilotomia.
    Já discutimos aqui (https://endoscopiaterapeutica.com.br/artigoscomentados/cpre-e-risco-de-cancer/) que o risco de câncer aparentemente não existe.
    Mas vale revisar os novos dados da literatura.
    Sou jovem ainda dentro da endoscopia, mas nunca vi ou ouvi falar de complicações longo prazo (câncer ou infecções crônicas) pos CPRE? Você ja viu algum !?

  3. Acho que essa era uma preocupação teórica de antigamente Guilherme, nunca comprovada em estudo clínicos. Eu nunca me deparei com algum caso de colangiocarcinoma supostamente ocasionado por uma papilotomia de longa data.

Deixe um comentário