Drenagem Ecoguiada de Formação Pseudocística Pancreática

Drenagem Ecoguiada de Formação Pseudocística Pancreática
Compartilhe:

 

Paciente FAGP, masculino, 48 anos, natural e procedente de Recife. Antecedente de alcoolismo após ser submetido à cirurgia bariátrica (Bypass gástrico há 5 anos).
Há 1 ano abriu quadro de pancreatite alcoólica e complicada com formação pseudocística em cabeça de pâncreas (Walled off necrosis), promovendo efeito de massa local e, como consequência, dor epigástrica e icterícia. Além disso, sensação de plenitude epigástrica. Optado por drenagem guiada por ecoendoscopia.

 

Para ler mais sobre esse tema clique no link abaixo:

Guia do tratamento das coleções fluídas peripancreáticas

 

 

Baixar em PDF
Compartilhe:
Foto de perfil de Otávio Micelli Neto

Assistente do setor de endoscopia e ecoendoscopia do Hospital Nove de Julho.
Pós graduando EPM.

Baixar em PDF

6 Comentários

  1. Foto de perfil de Matheus Franco

    Otávio parabéns. Caso desafiador ainda mais pela anatomia pós-cirúrgica. Algum cuidado especial após o procedimento? A necrosectomia foi feita no mesmo procedimento inicial? Quantas sessões de necrosectomia foram necessárias antes de retirar a prótese? Abraço

    • Foto de perfil de Otávio Micelli Neto

      Olá Matheus
      Nós sempre quando fazemos estes casos em que não há mais pancreatite, apenas o pseudocisto, deixamos o doente internado pelo menos 48 horas, mas em jejum em média apenas 12 horas após o procedimento, obviamente variando de caso a caso. Este em específico, como a pancreatite ja tinha se resolvido (“pseudocisto crônico”), a dieta foi liberada logo no primeiro pós operatório. Sempre fazemos a necrosecrtomia no mesmo tempo e este paciente fizemos 4 sessões.

  2. Foto de perfil de Ivan R B Orso

    Parabéns pelo caso Otávio. Você poderia compartilhar as especificações (calibre, extensão entre flaps) do LAMS que você utilizou?

  3. Foto de perfil de Victor Rossi Bastos

    Parabéns Otávio. Manejo de WON com suas dificuldades, seja por endoscopia ou outra via.

Deixe um comentário